Por que a obesidade faz mal para o coração?



Das seis principais causas de morte no Brasil, quatro estão diretamente ligadas à obesidade: acidente vascular cerebral (AVC), infarto do miocárdio, diabetes e hipertensão. Indicadores do Ministério da Saúde mostram o avanço do problema com o aumento de 60% da prevalência da obesidade no Brasil nos últimos dez anos, passando de 11,8% em 2006 para 18,9% em 2016. O sobrepeso na população também subiu de 42,6% para 53,8% no período. Ou seja, a maioria dos brasileiros está acima do peso ideal.


A gordura em torno dos órgãos dentro da cavidade abdominal, conhecida como gordura abdominal, aumenta o risco de entupimento das artérias, dificultando o desempenho adequado do coração.


Isso ocorre porque o acúmulo de células gordurosas produz substâncias inflamatórias que se alojam nos vasos sanguíneos. As placas de gordura que se formam obstruem a passagem do sangue, o que pode causar infartos e derrames.


Na prática, para saber quando a gordura abdominal compromete a saúde, a medição da circunferência abdominal com uma fita métrica não pode passar de 88 cm nas mulheres, e de 102 cm nos homens. O problema está associado a níveis altos de triglicerídeos, baixos níveis do bom colesterol (HDL), resistência a ação da insulina e consequente elevação dos níveis do açúcar no sangue (diabetes).


O tratamento e a prevenção da obesidade tem relação direta com a mudança do estilo de vida!

O combate ao sedentarismo, adquirir hábitos alimentares saudáveis, o controle do peso, o abandono do tabagismo, o acompanhamento das taxas de colesterol, glicemia e de outros marcadores inflamatórios são fatores primordiais.


Obesidade tem tratamento, tem cura!

Procure ajuda médica especializada!

Cuide de você, cuide do seu coração!




Dra. Kécia Amorim Médica

Cardiologista

CRM GO 13874

RQE 10821




AGENDE UMA CONSULTA

Posts recentes

Ver tudo