Estresse pode causar infarto e outros problemas cardíacos



Um estudo publicado na revista de saúde Hypertension aponta que altos níveis de hormônio do estresse são fatores de risco para hipertensão e outros problemas cardíacos. Além disso, a falta de tratamento adequado pode levar ao infarto ou provocar um acidente vascular cerebral (AVC), mesmo em pacientes jovens e saudáveis.


Mas quando o estresse é considerado um problema?


De acordo com a médica endocrinologista, Pryscilla Moreira, a partir do momento em que o nível de estresse impossibilita de fazer coisas do seu dia a dia é importante procurar um especialista, seja para medir os níveis hormonais ou investigar problemas relacionados a rotina e também alimentação.


Os hormônios do estresse norepinefrina, epinefrina, adrenalina, noradrenalina e cortisol podem aumentar com eventos presentes no cotidiano como: trabalho, relacionamentos, finanças e etc. “É importante primeiramente observar o que tem causado essa fadiga. Porque as vezes uma pequena mudança na rotina pode mudar completamente a qualidade de vida”, explicou Pryscilla.


Momentos de tensão, como a pressão por resultado no trabalho, conflitos familiares, medo e ansiedade, ativam mecanismos de defesa e deixa o organismo em estado de alerta e estresse. E quando essa carga extra não é liberada com o exercício físico ou meditação e afins. Ela começa a ser acumulada e isso se torna um grave problema.


Pandemia


Segundo a médica Cardiologista Kecia Amorim, durante a pandemia da Covid-19, houve um crescimento de casos de infarto em decorrência de estresse em pessoas consideradas jovens. Isso porque, devido a quarentena, a ansiedade causada por incertezas, o medo de contrair o vírus ou de perder uma pessoa querida para a doença.


“Eu frequentemente no pronto socorro, pacientes que agravam para um infarto. Infelizmente, agora na época da pandemia aumentou o índice pacientes jovens com infarto, por conta do fator desencadeante de estresse”, contou.


Ainda de acordo com a cardiologista, o estresse causa um aumento na produção de glóbulos brancos, fator que altera o mecanismo de coagulação. “Essa evidencia é algo novo, e o que quer dizer? O sangue do paciente fica mais grosso, ia e pode levar ao infarto e AVC”, explicou.


Sintomas


A cardiologista orienta que são sintomas de uma crise de estresse:

  • Falta de ar;

  • Coração acelerado;

  • Transpiração excessiva;

  • Insônia.

Quando esses sintomas estão fora de controle, a ponto de interferir na qualidade de vida é importante procurar um médico especialista.

“Em caso de estresse agudo (coração acelerado, dor no peito e falta de ar), o paciente deve procurar imediatamente o pronto socorro. É perigoso, o paciente que recebeu uma notícia ruim e sentiu dor no peito ficar em casa esperando passar”, concluiu.

Prevenção


O estresse faz com que o coração e a respiração acelerem, enviando mais sangue para os músculos e nos deixa prontos para enfrentar situações de perigo e confronto. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a prática de exercícios físicos são o melhor caminho para combater o estresse e proporcionar inúmeros benefícios para a mente e o corpo.


De acordo com a cardiologista Kecia Amorim, o exercício físico pode ajudar a prevenir muitos problemas cardíacos e também combater os hormônios do estresse. Já que após a prática são liberados “os hormônios endorfina e dopamina, que ajudam na ajuda na respiração, e de imediato ocorre uma diminuição na pressão arterial. ”


“Após o exercício físico vai haver um relaxamento das artérias, uma baixa na pressão arterial e uma diminuição da frequência cardíaca. E também o aumento da capacidade cardiorrespiratória que vem como proteção, o que diminui a inflamação das paredes arteriais. Inflamação essa que leva ao infarto.”

Além disso, a endocrinologista Pryscilla, orienta que para cuidados básicos no dia a dia como: “Manter um sono adequado, uma alimentação adequada, ingestão de líquidos e um tratamento de correções psicológicas que podem estar envolvidas na piora desse estresse do dia a dia.”



Cuide de você, cuide do seu coração, tenha um cardiologista de confiança.


Dra. Kécia Amorim

Médica Cardiologista

CRM GO 13874

RQE 10821





AGENDE UMA CONSULTA

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo