Diabetes e o coração.


Uma das maiores preocupações dos médicos que tratam pacientes com diabetes é como protegê-los de possíveis complicações cardiovasculares.


Segundo a American Heart Association, a doença é considerada um dos maiores fatores de risco para problemas cardíacos.


Estatísticas apontam que cerca de 68% das mortes entre pacientes diabéticos com idade acima de 65 anos acontecem devido a problemas cardiovasculares ( Infarto do miocárdio) e outros 16% estão relacionadas com o acidente vascular cerebral (AVC).


O risco de desenvolver uma doença cardíaca é maior em pacientes com diabetes porque a elevação da glicemia e a resistência à insulina, principalmente nos pacientes com diabetes tipo 2 (adquirida), levam a uma inflamação crônica das artérias, o que predispõe à aterosclerose.


Esse tipo de diabetes é mais comum em pessoas acima dos 40 anos de idade e obesas.


Como prevenir?


A prevenção das doenças cardiovasculares nos pacientes com diabetes é, em geral, feita por meio do controle de diversos fatores de risco, como hipertensão, glicemia, tabagismo, obesidade, colesterol e sedentarismo.


A prática de 30 minutos de atividade física moderada, como uma caminhada rápida, pelo menos cinco vezes por semana, já ajuda na prevenção. Mas há casos em que é necessário o uso de medicamentos.


No último Congresso Mundial de Cardiologia ocorrido em Paris em setembro 2019, foram apresentados estudos que mostraram que um medicamento já indicado para reduzir o nível de glicose no sangue pode ajudar a evitar o risco de ataque cardíaco ou morte em pacientes com diabetes do tipo 2.


Segundo os estudos, os riscos foram reduzidos em até 15%.


Um alerta: os pacientes diabéticos podem sofrer risco de um infarto sem perceber. Os pacientes que convivem com o diabetes há muitos anos e de maneira mal controlada podem apresentar uma isquemia silenciosa, ou seja, não apresentam dor quando estão tendo um infarto. Isso acontece devido às complicações neurológicas causadas pelo diabetes. Esses pacientes costumam sentir apenas falta de ar, sudorese ou mal-estar geral.


Como tratar?


O tratamento e o acompanhamento do paciente diabético devem ser realizados por uma equipe multidisciplinar composta por diferentes especialidades, como médicos endocrinologistas, nefrologistas e oftalmologistas, nutricionistas, educadores físicos, podólogos, entre outros.


Para a prevenção de problemas cardiovasculares, exames como cintilografia miocárdica, doppler de carótidas e dos membros inferiores e ecocardiograma são importantes e devem ser feitos conforme orientação médica.


Importante ressaltar que todo paciente diabético deve fazer acompanhamento cardiológico regular e cuidar bem do seu coração!

Até que prove o contrário, todo paciente diabético que não se cuida tem ou terá doença cardiovascular grave! Infelizmente!


Dra. Kécia Amorim

Médica Cardiologista

CRM GO 13874

RQE 10821


AGENDE UMA CONSULTA



#drakeciacardiologista #cardiologistagoiana #coracaopartido #prevencao #diabetes #goiania

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo